sexta-feira, 11 de novembro de 2011

ENTREVISTA EXCLUSIVA COM O SARGENTO BINACE

ENTREVISTA COM O SARGENTO BINACE QUE VAI SE CANDIDATAR A VEREADOR DE SÃO FRANCISCO DO BREJÃO.

  O Sargento Binace é um velho conhecido dos brejãoenses. Morou aqui durante cinco anos, dos quais, três como Comandante do Policiamento Militar. Onde, além de desenvolver trabalhos inovadores e insólitos como: palestras nas escolas, campanhas educativas de trânsito, programas sociais na rádio comunitária Brejão FM, etc., contribuiu muito para aproximação da população com a Polícia Militar. Desmistificando o paradigma em que a sociedade não podia ter diálogo, ou até mesmo amizade com a polícia. Pois bem: devido a boatos que o mesmo pretendo voltar para nossa cidade e ser candidato, novamente a vereador, fizemos uma entrevista on-line com ele, e postamos, após as perguntas e respostas, uma crônica político-social, dele, para a comunidade que acompanha nosso blog.



 
BREJÃO NA REDE: Sargento Binace, como é a vida em Timon? Muito diferente do Brejão?

SARGENTO BINACE: Muito! Eu sou suspeito pra falar, mas já disse uma vez e repito: São Francisco do Brejão é a melhor cidade do mundo. Fora a hipérbole, esta afirmação baseia-se, dentre outras situações, em função desta cidade ser, ao mesmo tempo, tranquila e agitada (divertida), onde todas as pessoas praticamente se conhecem. Diferente de Timon, onde o clima é quente e os vizinhos não sabem sequer o nome de quem mora ao lado. Fora isso o Brejão tem muitas outras vantagens, que só sabe quem já morou em outras cidades.

BREJÃO NA REDE: O que você faz atualmente em Timon?

BINACE: Resumidamente: trabalho na seção de estatística e instrução do 11º Batalhão da PMMA; estudo música na UFPI em Teresina; e moro com minha filha Sara em uma casa próxima de onde moram meus pais e irmãos.

BREJÃO NA REDE: É verdade que você pretende voltar para o Brejão e ser, novamente, candidato a vereador?

BINACE: Sim. A princípio devo passar o réveillon no Brejão, para rever amigos e amigas. Posteriormente em definitivo para trabalhar minha candidatura. Tenho a esperança de ser eleito, e automaticamente me aposentar da polícia para vir morar definitivamente no Brejão, como vereador. Assim terei tempo livre para me dedicar ao trabalho social e educativo do município.

BREJÃO NA REDE: Para finalizar gostaria que você desse uma opinião sobre nosso blog.

BINACE: Vocês estão de parabéns. O bom mesmo seria se cada estudante, ou mesmo o cidadão comum, tivesse seu próprio blog, para expressar suas idéias e opiniões à sociedade. Brevemente estarei criando meu blog, e conto com vocês para divulgá-lo. Obrigado, beijos.


          crônica postada pelo entrevistado

LIBERTAS QUAE SERA TAMEN

                “A liberdade é o segundo maior bem que nós temos, perdendo apenas para a vida.” Costuma dizer um velho amigo, hoje major aposentado da Polícia Militar do Maranhão.  Há de se concordar com ele, e entender que liberdade só é completa quando se é livre física e psicologicamente. Onde moramos, somos refém, e dessa forma presos, de um sistema político em grande parte injusto, ineficiente e corrupto, retirando as poucas exceções – é importante salientar que temos políticos que têm vontade e lutam para tornar nossas vidas mais dignas.

                Dada é a hora, então, de lutarmos por nossa liberdade! Semelhantemente à revolução francesa na idade média (“liberdade ainda que tardia”). É possível! A nossa libertação deste sistema político ineficiente se dá em três etapas: o entendimento, a organização e a prática.

                Primeiramente devemos entender que o Brasil é um país rico, e nossa realidade atual não corresponde ao que necessitamos e temos por direito. Que a culpa é de determinados políticos que por conveniências pessoais e políticas não podem desenvolver, nos poderes constituídos, o trabalho correto e honesto que traga melhorias para nós e nossas famílias. E finalmente entendermos que precisamos de legisladores (vereadores, deputados e senadores) e governantes que tenham inteligência e honestidade para administrarem bem nossa sociedade.

                Tendo isso em mente, partiremos para a segunda etapa da libertação: a organização. Organizar é ter em mente, ou colocado no papel, exatamente o que fazer. Saber primeiramente quem está deixando de exercer, muito bem, o seu trabalho à frente da comunidade e que não demonstra capacidade para fazer o serviço necessário. Daí procurar outras pessoas para substituir os ineptos, os incompetentes, os néscios, e levar a eles (substitutos) suas necessidades. Saber com convicção, com certeza, sem dúvidas, quem você quer que lhe governe nos próximos quatro anos. Saiba: você é responsável, individualmente e como parte da sociedade, por quem estiver no poder político de sua cidade.

Após isso é o momento de partir para a terceira e última etapa: a prática. A prática é a ação. Você entendeu o problema, descobriu e organizou uma solução, e agora vai lutar pelo que você quer, com convicção, sabendo que pode e quer, se libertar da opressão dos políticos incompetentes. Agora divulgue suas idéias entre os parentes, amigos e conhecidos. Faça grupos de discussão, procure pessoas para incentivar a fazer o mesmo. Se Obama conseguiu mudar uma política racista centenária nos Estados Unidos. Se Dilma mudou o conceito feminino na política nacional. Nós podemos, também, mudar a realidade de uma cidade tão pequena quanto a nossa. Lembre-se que a maioria dos eleitores de hoje é jovem e inteligente. LIBERTAÇÃO, SÓ COM REVOLUÇÃO DE PENSAMENTO E ATITUDE! 

"A liberdade que tardia, todavia, apiedou-se de mim, na minha inércia"

Virgílio

Binace1@hotmail.com

2 comentários: